A um custo de R$ 51,3 milhões em emendas, 13 dos 17 deputados goianos livram Temer de processo no STF

Da bancada de 17 deputados federais eleitos por Goiás, 12 deles votaram a favor do relatório que pedia a suspensão do encaminhamento da acusação contra Michel Temer para o STF. O presidente venceu a queda de braço com um resultado longe do previsto inicialmente: foram 264 votos contra 227 que pediam a admissibilidade da acusação do Ministério Público Federal. Assim como em outras bancadas estaduais, a votação foi atrelada a um custo: o repasse de emendas para que os deputados votassem como manda o Planalto. Juntos, estes 12 deputados receberam R$ 51,3 milhões em emendas liberadas, uma média de R$ 4,2 milhões.

Na divisão dos votos por regiões, o presidente Temer teve o maior porcentual de apoio no Centro-Oeste – onde o agronegócio domina a economia e também a política. Dos deputados da área formada por Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, 68% se alinharam a Temer na votação de ontem. A seguir vieram as regiões Norte (63% de apoio), Nordeste (48%), Sul (48%) e Sudeste (47%).

O único ausente na votação dos goianos foi o Delegado Valdir (PR). Acompanhe quem votou em favor do presidente Michel Temer (foto ao lado): Alexandre Baldy (Podemos), Célio Silveira (PSDB), Daniel Vilela (PMDB), Giuseppe Vecci (PSDB), Heuler Cruvinel (PSD), João Campos (PRB), Jovair Arantes (PTB), Lucas Virgílio (Solidariedade), Magda Mofatto (PR), Pedro Chaves (PMDB), Roberto Balestra (PP) e Thiago Peixoto (PSD).

Os quatro favoráveis ao prosseguimento da denúncia e contra o relatório foram: Rubens Otoni (PT), Fábio Sousa (PSDB), Flávia Morais (PDT) e Marcos Abrão (PPS).

Fora

Após a votação que impediu que Temer fosse processado, no qual votou para proteger o presidente, o deputado Alexandre Baldy se exasperou com a direção do seu novo partido, o Podemos. A discussão foi por desacordo com a direção que defendia o desembarque do Governo e o voto em bloco contra o presidente. Agora, o deputado deverá procurar um novo espaço.

Desfaçatez

Uma estudante foi assaltada por uma dupla em uma motocicleta. Dada a voz de assalto, pedindo seu celular, a vítima entregou. Ao ver o modelo do aparelho, o ladrão ainda teve tempo de elogiar o bom gosto da vítima: “Nossa, que celular bom que você tem”. Até agora ninguém foi preso.

Cobrança

Pastor Elias, vereador pelo PSDB, bem que tentou intermediar politicamente a reunião entre o comando da Polícia Civil e Militar e os donos de farmácias, que estão na bronca com o elevado número de assaltos aos comércios. A conclusão do debate foi a mais óbvia: falta mais atenção à polícia para que ela possa realizar seu trabalho com maior abrangência.

Voltou

Após período de recesso, a Câmara Municipal retoma os trabalhos das sessões plenárias e deverá estrear um novo espaço em um galpão que foi preparado para receber os edis e a população que se interessa em acompanhar as sessões.

Pode passar

A liberação do elevado construído sobre as avenidas Barão do Rio Branco e Goiás deve acontecer na próxima terça-feira, 08. Ainda não há previsão sobre o outro projeto, em andamento sobre a Avenida Amazílio Lino.

Efeito Cascata

As insatisfações com cortes salariais e falta de condições de trabalho entre os servidores da Saúde Municipal começa a ser traduzido em maus tratos. Somente na última semana, o Cais Progresso foi alvo de algumas reclamações de usuários do sistema denunciando um tratamento inadequado no atendimento naquela unidade, da recepção ao diagnóstico.

Abre-te

Moradores da região do Setor Raul Balduíno e Jardim Ana Paula tem reclamado sobre o fechamento de um trecho da rua paralela à Brasil Sul, na região próxima ao Comando da PM. A PM impediu o tráfego alegando questão de segurança. O Ministério Público oficiou a CMTT para que desobstrua o trecho.

É ou não é?

Júlio Lopes (PP-RJ) afirmou que, se dependesse da opinião pública nacional os deputados não poderiam se tratar como “excelências”, mas como “desprezíveis”. “Mas não somos desprezíveis, mas somos excelências do processo”, garantiu.

Patrão

O vice-presidente da CNI, Paulo Afonso, foi atração na reunião semanal da Acia. Aos empresários, recomendou que sigam pressionando o Governo e seus representantes para que acelerem as reformas propostas por Michel Temer.

Cutucão

Líder do DEM, Efraim Filho deu uma indireta ao PSDB durante a votação da admissibilidade do prosseguimento das investigações contra Temer: “o DEM prima pela lealdade e pela coerência”. Os tucanos, mesmo não saindo dos ministérios, indicaram votação em desfavor do presidente.

Herói

Segundo Genecias Noronha, líder do Solidariedade na Câmara Federal, é o Governo Temer quem está tirando o Brasil da Crise Política, Econômica e… Ética.

Defensor

Marconi Perillo comemorou no início da noite de ontem o resultado da votação na Câmara Federal. Após telefonar para Temer a fim de parabenizá-lo, o governador destacou, junto a aliados, que Temer ganha força para aprovar as tão questionadas reformas em âmbito nacional.

Só no Futuro

A gestão municipal se especializa no que fez de melhor até agora: fazer promessas. Ainda deixando no ar a maioria dos compromissos que fez durante a campanha, agora o gabinete municipal anuncia a criação de um cursinho municipal. Só que é para… o ano que vem.

Ué, cadê?

O deputado goiano Delegado Waldir Soares fez um escarcéu por ter sido trocado abruptamente da CCJ. Chegou a chamar Temer e aliados de “quadrilha de bandidos”. Na hora de manifestar seu voto, no entanto, Soares sumiu. Alegou que está em “tratamento para superar um trauma familiar”.

Culatra

Waldir foi eleito, em grande parte, pela sua atuação nas redes sociais, defendendo posições claras e duras em relação a temas polêmicos. E foi justamente na internet que o deputado mais recebeu ataques, sendo classificado de covarde por ter se ausentado da votação.

Todos juntos

Proposta apresentada no Senado quer também tornar como infrator o passageiro que aceitar entrar em um carro conduzido por um motorista alcoolizado. O autor do projeto é Cidinho Costa, do PR-MT. Se aprovada, o passageiro pode ter a CNH apreendida, pagar multa e ainda ser preso por até três anos.

Empolgadão

De olho em participar das eleições do próximo ano, o Coronel Adailton Florentino, que responde por uma subsecretaria ligada ao gabinete estadual, disse ser um soldado de Marconi Perillo. Em entrevista, afirmou que o chefe “é a maior liderança de Goiás e quiçá do Brasil”. Adailton quer ser ungido pelo governador para disputar espaço na Assembleia Legislativa.

Delas

Será lançado em Goiânia na próxima semana um aplicativo semelhante ao Uber, mas voltado exclusivamente para transportar mulheres. Somente serão admitidas mulheres ao volante, bem como somente elas podem chamar pelo serviço. A próxima praça deverá ser em Anápolis.

De novo

O Ministério Público de Goiás oferta denúncia contra o Estado por causa da falta de competência da OS Fundação Antares de Ensino Superior, Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão (Faespe), que tem autorização do governo para atuar na Educação. Além desta, já está sob questionamento o Instituto Brasileiro de Cultura, Educação, Desporto e Saúde (Ibraceds), que também atua na área de educação.

Pouco Solidário

Amilton Filho, principal liderança do Solidariedade, destoou da posição de sua legenda que, na última quarta-feira (02) contribuiu para blindar o presidente Temer. Para ele, o discurso montado para salvar Temer é “uma balela”. “O presidente precisa responder pelos seus atos. A gravação dele é batom na cueca”, comparou.

Tem, mas não tem

Amilton Filho afirma ainda que, diferente dos trâmites adotados no âmbito federal na relação do Legislativo com o Executivo, em Anápolis não existe uma política de “toma-lá-da-cá”. No entanto, ele admite que é grande o número de servidores empregados em indicações políticas dos vereadores da base.

Ungido por Temer

A bancada do PSDB “Pró-Temer”, que se manifestou pela blindagem do presidente, quer retaliar os tucanos insurgentes promovendo o esvaziamento da candidatura de Geraldo Alckmin à Presidência. O nome deste grupo seria Marconi Perillo. O goiano é um dos baluartes de defesa de Temer na legenda.

Dissabor

Conhecido pelo Marketing de “melhor hambúrguer do mundo”, a franquia Madero Container encerrou suas atividades em Anápolis. A unidade, que foi a primeira do centro-oeste com esta proposta de fast-food, estava há um ano e dois meses em funcionamento. Até mesmo o “container” já não faz mais parte da paisagem do shopping onde estava instalado.

Histórico

Por diferentes motivos, Anápolis tem o histórico de rechaçar marcas conhecidas nacional e mundialmente. Antes do Madero, já encerraram atividades gigantes da alimentação como o Habib’s e a Pizza Hut

Fora de Temer

Vencido seu compromisso com Temer, Rodrigo Maia quer agora se descolar da imagem impopular de Temer e criar uma agenda exclusiva da Câmara, para além da pauta econômica. A ideia é abrir espaço a projetos que estejam mais conectados com a sociedade.

Trocando posições

O procurador-geral Rodrigo Janot pode ser alvo de ações judiciais assim que deixar o comando da Procuradoria-Geral da República, no próximo mês. A iniciativa já é discutida entre alvos da Operação Lava Jato. A alegação principal seriam os exageros cometidos pelo procurador na busca por incriminar seus alvos.

Vem mais?

O jornal Valor Econômico destaca que as emendas usadas para convencer os deputados a votar com o Governo totalizaram R$ 13,2 bilhões. A vitória foi magra: apenas 37 votos de frente. Já tem deputado esfregando as mãos à espera da segunda denúncia de Rodrigo Janot. Com ela, a chance de fazer mais bons negócios.

Tá perdoado

A Medida Provisória 793/17 promove uma renúncia fiscal do Governo à ordem de R$ 7,6 bilhões nos próximos 15 anos, através do parcelamento de dívidas de grandes produtores rurais e integrantes da agroindústria junto ao FAT. O perdão fiscal também teve função estratégica na votação da última quarta-feira (02).

Vem aí

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, definiu estratégia para apresentar ao STF uma nova denúncia contra o presidente Michel Temer, desta vez sob acusação de obstrução da Justiça. Janot pediu ao ministro Edson Fachin para deslocar a investigação sobre organização criminosa do inquérito da JBS para outro mais antigo, que vem investigando o chamado PMDB da Câmara.

E mais

Janot também pediu a inclusão dos ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral) no rol de investigados desse inquérito sobre o PMDB.

Notícias Relacionadas