Anapolino vai gastar R$ 371 com presentes de Natal, aponta pesquisa

Levantamento feito pela Câmara de Dirigentes Lojistas mostra, ainda, que a média é 5% a mais do que o gasto realizado no ano passado: segmento de vestuário e calçados lidera preferência do consumidor com mais da metade das compras

Da Redação

Não se pode afirmar que o momento é de otimismo na intenção do consumidor anapolino em relação aos gastos com compras de Natal. Isto porque, em relação ao ano de 2016, a média de investimento em reais supera em apenas 5% o gasto realizado no mesmo período. Este e outros dados são mostrados na pesquisa realizada pela Câmara dos Dirigentes Lojistas sobre o perfil de consumo do anapolino neste fim de ano.

Considerada a melhor data do comércio em âmbito nacional, a aferição foi realizada no período de 24 a 28 de novembro de 2017, com uma amostra aleatória de 400 consumidores, sendo 59% de mulheres e 41% de homens.

Uma das verificações da pesquisa foi o direcionamento dos investimentos, ou seja, para quem o consumidor vai dedicar suas compras. A maioria, com 19%, deve presentear o pai ou a mãe. Em seguida, com 17%, vem os filhos. O mesmo percentual é dedicado ao cônjuge. Os namorados ficam com 14% das intenções de compra, assim como o presente aos netos é uma prioridade para 4% dos consumidores. Completam o quadro, com 15%, aqueles que vão presentear, mas ainda não sabem a quem vão dedicar prioridade.

Gastos

A pesquisa ainda mostrou o valor em reais dos gastos. Para 25%, os investimentos vão superar a marca de R$300. Na outra ponta, os gastos mínimos – entre R$ 20 e R$ 50 – são o limite para 7% dos consumidores. A maioria, no entanto, ficará entre R$ 100 e R$ 200, representando 39%. Com os dados apurados, a média de gastos com presentes ficará em R$ 371.

O vestuário e os calçados mais uma vez lideram o tipo de compra, com 39% e 23%, respectivamente. Os brinquedos ficam com 12% e os cobiçados celulares serão procurados por 7% dos anapolinos. Perfumes (5%), viagens (2%) e outros presentes (5%) completam o quadro que ainda tem 7% do consumidor que não sabe o que comprar.

No entanto, quando a pergunta é invertida, o resultado é outro. Questionados sobre o que gostariam de ganhar, 34% desejam receber viagens, 27% ficam com os calçados, 15% roupas, 12% brinquedos, 5% eletrônicos ou celulares. Para 2%, a melhor opção seria receber o dinheiro.

Locais

Mais da metade dos anapolinos vai procurar a aquisição de presentes no comércio tradicional (52%). Em segundo lugar, estão as lojas em shoppings (33%). Apenas 5% afirmou comprar em lojas virtuais, pela internet e 3% tentarão a melhor opção nos camelódromos da cidade.

O perfil do pagamento também foi apurado e mostrou que o consumidor da cidade não quer fazer dívidas para janeiro e os demais meses: 67% prometem pagar em dinheiro e se livrar já deste compromisso, mas 31%  vão usar os cartões de crédito; 1% vão usar o benefício do cartão de lojas e apenas 1% fará o chamado crediário.

A metodologia adotada para escolha total da amostra apresenta um índice de confiança de 95% e um erro amostral de 4,33%. (com informações da CDL)

Notícias Relacionadas