Após deliberação da categoria, greve dos petroleiros começa na quarta-feira (30)

Após a paralisação de caminhoneiros em todo o país, que chega no seu sétimo dia, os petroleiros decidiram entrar em greve, que começará à zero hora desta quarta-feira (30).

Entre as reivindicações da categoria estão a demissão do presidente da estatal, Pedro Parente; a redução dos preços dos combustíveis e do gás de cozinha; a manutenção de empregos e retomada da produção interna de combustíveis; o fim da importação de derivados de petróleo; e a desmobilização do programa de venda de ativos promovido pela atual gestão da estatal.

A decisão da Federação Única dos Petroleiros (FUP) pela greve ocorreu neste sábado (26), após encontro realizado por teleconferência. A partir deste domingo, uma série de manifestações da categoria começam, culminando na greve a partir de quarta.

Hoje a troca de turnos na Estatal começou a ser feita com atraso nas refinarias onde ativos foram colocados à venda. O objetivo é deixar as operações mais lentas em refinaria onde houve desinvestimentos.

Estão incluídas a Rlam, na Bahia; a Abreu e Lima, em Pernambuco, a Refap, no Rio Grande do Sul, e a Repar, no Paraná. No sábado, trabalhadores da Refinaria Alberto Pasqualini (Refap – RS) cruzaram os braços das 8h às 16h, em apoio à greve dos caminhoneiros. A greve dos petroleiros vai durar 72 horas.

Notícias Relacionadas