Após reforma, Brasil entra na lista de “países que desrespeitam convenções trabalhistas” da ONU

O Brasil passou a integrar a lista de países que desrespeitam as convenções trabalhistas da Organização Internacional do Trabalho, a OIT, braço da ONU que trata das relações de trabalho.

A definição foi anunciada nesta terça-feira (29) na Suíça. As razões elencadas pela organização para inserir o país neste rol são alguns pontos da reforma trabalhista proposta pelo Governo Temer e aprovada pelo Congresso Nacional em agosto.

O secretário de relações internacional da Central Única dos Trabalhadores, Antônio Lisboa, explica que será sugerida a revogação da reforma. “A OIT deverá dizer ao Brasil que é preciso corrigir estes erros. Esgotado este debate, nós vamos propor que a reforma trabalhista seja revogada no Brasil. Este é o passo seguinte, mas depende de todo o debate que virá”, explicou.

Para Antônio Lisboa, as consequências desta classificação têm repercussão diplomática e mancham a imagem do Brasil perante o mundo. “Primeiramente há uma consequência política internacional. É uma consequência diplomática, uma vez que o país fica nas relações internacionais como um país que não cumpre as normas estabelecidas por uma agência da ONU. E, por fim, há desdobramentos econômicos, porque os investimentos estrangeiros levam em consideração a estabilidade política e a segurança jurídica”, finalizou.

Notícias Relacionadas