Assim como na série do Netflix, Trump já tem o seu “Sobrevivente Designado”

Uma tradição que remonta aos anos da Guerra Fria, na década de 1960, se tornou mais viva do que nunca por conta de um seriado que vem ganhando popularidade no Brasil, através da Netflix.

No enredo, um técnico, que ocupa a pasta da Habitação no governo americano, se vê diante da missão de se tornar o presidente após um atentado terrorista de magnitudes inéditas: com o presidente, o vice e presidente da Câmara de Representantes, ele é o número um. Ou, como diz o nome da série, o “sobrevivente designado”.

Acontece que, longe da ficção, a função existe e é cercada de proteção e mistério. Pelo menos era: até 1984, nenhum destes escolhidos tinha a identidade revelada.

Na vida real, o personagem de Tom Kirkman, interpretado pelo ator Kiefer Sutherland, na série de TV produzida pela ABC e transmitida no Brasil pela Netflix, é o senador eleito pelo estado de Utah, Orrin Hatch.

Em caso da morte de todos os três sucessos na linha oficial, Hatch é o novo presidente americano. E, enquanto todos se reunirem em algum evento oficial, ele terá acesso à maleta com os códigos nucleares e, ainda, receberá todo um aparato de proteção semelhante ao do presidente.

“É um programa que representa a intenção do presidente de que os EUA garantam a sobrevivência de um governo constitucional e a continuidade de suas funções no caso de qualquer circunstância”, define o site do Ministério do Trabalho.

Notícias Relacionadas