Comunidade de Sanclerlândia se une à Frente Parlamentar em defesa da UEG local

Uma grande audiência pública reuniu lideranças de Sanclerlândia e região, mais a Frente Parlamentar em Defesa das Universidades Públicas, coordenada pelo deputado estadual Antônio Gomide, para discutir ações pela permanência do câmpus da Universidade Estadual de Goiás instalado na cidade e que contempla cidades da região.

Estavam presentes o prefeito Itamar Leão, o vice-prefeito, José Lagares, o diretor da unidade UEG local, Leônidas José de Oliveira, vereadores da cidade e da região. Todos ressaltaram que o câmpus da UEG de Sanclerlândia foi uma das maiores conquistas do município e cidades da redondeza quando se fala em educação gratuita.

A preocupação é com a proposta de redesenho da UEG apresentada pelo gverno do Estado que prevê o fechamento de alguns câmpus, espalhados hoje em 41 cidades de Goiás.

De acordo com o diretor do campus da UEG em Sanclerlândia, Leônidas José de Oliveira, mais de 40 turmas, de dois cursos, já formaram na instituição desde 2001, o que representa cerca de 2000 alunos. O diretor do campus agradeceu o deputado estadual Antônio Gomide pela atenção à instituição. “A luta precisa ser em torno de mais investimentos e cursos e não pela manuntenção da universidade nos municípios avaliados como menores”, pontuou.

Para o prefeito, a audiência pública mostrou que a população está unida pela UEG local. Ele fez um apelo para que o diretor e a Frente Parlamentar coordenada por Gomide continue com a defesa das universidades.
“O estado se desenvolve com o conhecimento. E a UEG precisa continuar prestando esse auxílio aqui, em Sanclerlândia”, afirmou.

Gomide colocou a atuação da Frente Parlamentar à disposição da cidade fazendo um chamamento. “Quem vai fazer a defesa é a comunidade. Aceitamos o redesenho se for para melhorar”, citou. Para o deputado, o que tem que ser feito é uma avaliação para que a UEG avance. Algumas das ideias apresentadas por ele é que a universidade traga para as cidades cursos que se adequem ao perfil econômico da região para uma perspectiva de melhoria de vida e que o orçamento da universidade seja ampliado, garantindo a qualidade física dos câmpus e educacional dos cursos oferecidos.

Participações dos presentes na audiência pública também reforçaram que brigarão pela permanência da UEG em Sanclerlândia. O estudante de história do câmpus da UEG em Goiás, Lucas Pereira, participou da audiência e reforçou a importância de integrar as 41 unidades da instituição para que o redesenho seja de fato para melhorar a universidade. “A luta pela UEG é de todos nós e não pode ser levada de forma individual. Só conseguiremos fortalecer a UEG se estivermos unidos e com direito de participação nas decisões da universidade garantidos. Isso também começa pelo fim da lista tríplice na eleição para reitor”, destacou.

Como deliberação da audiência pública, Gomide propôs a criação da Frente Parlamentar em Defesa da UEG local para que a comunidade continue unida. “A UEG de Sanclerlândia é uma conquista. Unidos, lutaremos pela manutenção da referência em educação da região aqui”, finalizou

Notícias Relacionadas