Espetáculo “Anzóis no Aquário” é atração no Teatro Municipal neste fim de semana

A peça é a última parte da trilogia criada pelo dramaturgo e ator Hugo Zorzetti e aborda o universo do “fazer teatral” como uma experiência desafiante e inovadora

Da Redação

Anzóis no Aquário encerra a trilogia iniciada com a peça A Barricada, escrita nos anos 1980 e Cuspe pra Cima, de 2015, abordando o universo do fazer teatral, desde os exercícios artísticos, cívicos e políticos do teatro amador, até a saga dos artistas atingidos pelo arbítrio político, o preconceito que vitima atores e atrizes que envelhecem e perdem, por essa ou outra razão inaceitável, o seu espaço nos tablados.

Esta trilogia de Hugo Zorzetti – dramaturgo, historiador, autor, diretor, ator – pela temática enfocada, é a própria tradução cênica da formação artística no Teatro, ensejando um substancioso alcance artístico e pedagógico para todos os que atuam na área ou pretendam, como espectadores, ter acesso aos segredos que, normalmente, permanecem guardados nos bastidores.

Simbolismo

Anzóis no Aquário, texto que fecha o ciclo, revela a crise vivida por um diretor no processo da criação teatral, no conflito entre a montagem de um espetáculo e a frieza da crítica, pronta para ignorar os sacrifícios as que um grupo está exposto a partir do momento em que inicia o processo de ensaios, produção, captação de recursos, estreia e a carreira de um espetáculo.

Simbolicamente, é a fratura exposta do milenar conflito humano colocado em cena, o drama em gente, atualização da tragédia grega como espelho de uma Civilização plena de desumanidades.

Conflitos

O autor utiliza o mundo do teatro para traduzir a pluralidade das provocações estéticas que se arriscam revolucionárias, as idiossincrasias ideológicas do mundo real, com seus empenhos sociopolíticos e contradições econômicas.

A frivolidade que alimenta maioria dos conflitos em que, dentre outros patrocinadores, está a suprema e incontrolável vaidade artística. A guerra travada pelos encenadores, movidos por ela, a vaidade exacerbada, ou pelo embate na conquista do mercado de trabalho, além das divergências políticas ou estéticas, é contada aqui e ali, mas nunca esgotada como referente de um mundo cujas aparências são de incessante glamour e de uma eterna e improvável harmonia.

Teatro

O homem e a mulher de teatro sempre preferiram esconder e negar, em vez de trazer ao público as intrigas, as contendas, as feridas éticas e os hematomas profissionais que mancham as rotundas e pintam de nódoas as empanadas que revestem os bastidores teatrais.

Colocando os anzóis dentro do insano aquário da realidade crua e nua das manchetes do dia a dia, Hugo Zorzetti traz os bastidores do teatro para o proscênio; os anzóis na boca… de cena!

Serviço

Espetáculo Anzóis no Aquário

Quando: sexta, 24/11, e sábado, 25/11, às 20 horas

Onde: Teatro Municipal

Quanto: R$ 20 inteira e R$ 10 meia

Notícias Relacionadas