Estado cresce, mas serviços básicos ainda deixam a desejar em Goiás

Entre 2016 e 2017 o número de domicílios em Goiás cresceu 2,6%, ante a taxa nacional de 0,8%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados nesta quinta-feira (26). No Estado foi estimada a existência de 2,3 milhões de moradias. Dos quais 513 mil estão situados em Goiânia, ou seja, 22,1% do total. Na contramão deste aumento, os índices de habitações com serviços básicos caíram.

O percentual de domicílios com esgotamento sanitário por rede geral ou fossa ligada à rede passou de 53,9% para 53,1 em Goiás, de 2016 para 2017. Em 2017, 46,5% dos domicílios eram atendidos por fossa não ligada à rede e 0,2% possuía outra forma de esgotamento. O superintendente do IBGE em Goiás, Edson Roberto Vieira, avalia que os dados demonstram um cenário de crescimento populacional e queda na qualidade dos serviços básicos. “Isso demonstra a necessidade de mais investimento em políticas públicas. A infraestrutura precisa acompanhar o aumento dos domicílios”, considera.

No levantamento feito pelo IBGE, por meio da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, também ficou evidente em Goiás uma redução no percentual de domicílios com coleta diária de lixo, que passou de 86,7% para 84,4% de 2016 para 2017. Em 2016, 86,6% dos domicílios goianos com água canalizada tinham como a principal fonte de abastecimento a rede geral de distribuição. No ano seguinte, o percentual caiu para 86,2%.

Internet

Um dos dados que mais chama atenção na Pnad Contínua é o crescimento dos aparelhos de celular como meio de acesso à internet. Em 2016, 62,4% dos domicílios pesquisados tinham ao menos uma pessoa que usava o dispositivo para se conectar à rede mundial de computadores. No ano seguinte, o percentual avançou para 73,5%. A utilização da TV para acessar conteúdo online também evoluiu, passou de 8% para 10%. Já os microcomputadores estão sendo preteridos. Eram usados por 37,2% do público pesquisado em 2016 e no ano passado por 35,1%. (Com informações de O Popular)

Notícias Relacionadas