Gratificações concedidas destoam do discurso de Roberto Naves

Na edição do Diário Oficial desta quarta-feira, 12, vésperas de feriadão prolongado, foram publicadas diversas portarias editadas pelo prefeito Roberto Naves concedendo centenas de gratificações a servidores de carreira da Prefeitura. Estranhamente, uma medida que era para ser dada a publicidade devida, por conta dos desgastes causados por conta do corte, não foi repercutida pelo site oficial da Prefeitura nem pelos veículos de imprensa que costumam narrar atos do Diário Oficial.

Acesse as portarias

De acordo com as portarias publicadas, as maiores gratificações concedidas, no valor de R$ 3 mil, foram direcionadas a três procuradores do município que já obtém salário considerável de mais de R$ 11 mil. Enquanto isso, uma agente de endemias percebe seus poucos mais de R$ 1 mil.

O discurso de Naves pregava que o corte das gratificações, à época, era necessário para corrigir discrepâncias nas quais, por exemplo, duas pessoas que ocupavam a mesma função percebiam vantagens diferentes, pregando que esse servidor que percebia gratificação maior, seria uma indicação política. Entretanto, outra gratificação de valor considerável, de R$ 2 mil, foi concedida a um servidor que, inclusive, foi candidato a vereador pelo PTB nas últimas eleições.

Não se sabe ainda quais foram os critérios técnicos e “legais” utilizados pelo executivo para conceder os benefícios e como os nomes dos gratificados foram eleitos, já que o prefeito tem se esquivado dos encontros com representantes dos sindicatos e não deu explicações para a Câmara.

Nesta semana, por exemplo, uma reunião foi realizada entre os secretários da Fazenda, Geraldo Lino, e de Gestão, Planejamento e Tecnologia, Igo dos Santos Nascimento, com representantes do Sindsaúde e do SindiAnápolis, que representam categorias dos servidores públicos municipais. A presidente do SindiAnápolis, Regina Faria, reclamou que o sindicato é chamado para este tipo de encontro apenas para “comunicar uma decisão tomada”.

“O prefeito não quer me receber”, pontuou. Conforme destacou, o decreto publicado no dia 10 de abril, com os tipos e valores das gratificações “não cumpre com aquilo que foi acordado, a regulamentação de cada função gratificada” e destacou também que uma das decisões de Naves, de dar a cada secretaria o poder de definir as atividades do servidor de acordo com a função gratificada não contempla o desejo sindical.

“Gratificação sempre foi (uma questão) política, nunca foi técnica”, pontuou, indicando que o novo sistema de gratificações pode abrir o caminho para que os critérios errados de concessão do benefício sejam utilizados. Regina cita ainda diversos casos que chegam ao sindicato de informações sobre servidores que continuaram desempenhando determinadas funções gratificadas, mesmo sem receber o benefício; ela teme que os direitos retroativos destas pessoas não sejam pagos.

Veja lista das maiores gratificações concedidas por Roberto Naves

Leonardo Fernandes Pedroso – R$ 3.000,00

Luciana Muniz de Mesquita – R$ 3.000,00

José Maria Pereira – R$ 3.000,00

Carla Cordeiro Da Silva Barbaresco – R$ 2.500,00

Cleuza Aparecida Esteves – R$ 2.500,00

Diego Alves Carneiro – R$ 2.500,00

Elisa Ramos Veloso Costa – R$ 2.500,00

Elizanete Cardoso Dos Santos Souza – R$ 2.500,00

Flaviane Rosa Nunes De Oliveira – R$ 2.500,00

Gildo Gonçalves Mendes – R$ 2.500,00

Klauss Wagner Toledo Jury – R$ 2.500,00

Walkirya Vargas Dos Santos – R$ 2.500,00

Notícias Relacionadas