Lista de Fachin cita 7 políticos de Goiás: Anápolis não aparece em denúncias

Dos sete políticos de Goiás citados por executivos e ex-dirigentes da Odebrecht que fecharam acordo de delação premiada, nenhum é da cidade de Anápolis. A empresa manteve ligações com municípios através da municipalização do sistema de abastecimento de água ou grandes obras de infraestrutura muitas vezes relacionadas a saneamento. Entre os nomes está o do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB). Segundo delatores da Odebrecht, ele recebeu R$ 8 milhões em caixa dois para as suas campanhas ao Governo do Estado de 2010 e 2014. O objetivo da empresa era receber de Perillo, em caso de vitória, o favorecimento do grupo “na área de saneamento básico”. O tucano nega as irregularidades. Por ordem de Fachin, os episódios que o envolvem foram enviados ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), foro competente para julgar os chefes dos Executivos estaduais. Agora, caberá ao STJ analisar o pedido e autorizar o início das diligências solicitadas pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Os demais citados, cujas condutas ainda serão apuradas, são Daniel Vilela e Maguito Vilela (PMDB), o ex-senador Demóstenes Torres, o prefeito de Goiânia, Iris Rezende (PMDB), o ex-prefeito de Trindade Ricardo Fortunato e o ex-deputado federal Sandro Mabel. Também serão alvo de investigação a licitação da ferrovia de integração Oeste-Leste e as obras do novo Aeroporto de Goiânia. Os casos foram remetidos à Justiça Federal em Goiás.

Agenda apertada

Lisieux Borges foi ausência notada na eleição do novo presidente do PT em Anápolis. O vereador não participou da mesa composta por vereadores, deputado Rubens Otoni e pelo novo presidente, Marcos Carvalho. A justificativa é que Borges estava numa missa. Já no dia seguinte, Lisieux foi um dos primeiros a chegar à coletiva dos 100 dias do prefeito Roberto Naves. Chegou junto com os repórteres.

Preocupado

Enquanto Roberto Naves proferia o balanço de seus 100 dias de gestão, seus dois seguranças falavam incessantemente pelo sistema de rádio, um com o outro, monitorando a segurança do evento, feito em uma sala de 30 metros quadrados, repleta de secretários municipais, assessores e jornalistas de rádio, jornal e TV.

Renovação

Com a proposta de renovação nacional em seus diretórios, o PT de Anápolis aclamou o professor Marcos Carvalho, de 28 anos, como novo presidente. No mesmo evento, uma outra agenda contribuiu para a vinda de novos ares: a legenda recebeu a filiação de 23 jovens à agremiação.

Anale

A Academia Anapolina de Letra (Anale) abre inscrições para candidatos interessados em ocupar a cadeira número 21 “Carmo Bernardes”, antes ocupada pelo Dr. Olímpio Ferreira Sobrinho. Os interessados devem procurar informação pelo telefone 3706-9083 ou pelo email escritoranatalina@gmail.com

Saída

“Esgotados os debates, o que nos resta é a Justiça”, afirma Antônio Gomide em pronunciamento sobre ação popular com pedido de liminar contra o aumento da Taxa do Lixo.

Entre amigos

Dias depois de recuar da decisão de provocar a Justiça para questionar a cobrança da TSU pela prefeitura, o Fórum Empresarial cumpriu agenda em um animado café da manhã no gabinete do prefeito, na manhã da última segunda-feira (10). O clima era ótimo entre representantes das associações e o prefeito.

Cidadania

A Agetop e a Ética Construtora foram condenadas a pagar uma indenização de R$ 22 mil a uma família que sofreu um acidente na GO-222, em Inhumas, na Região Metropolitana de Goiânia. Segundo a decisão judicial, a rodovia estava em obras e mal sinalizada, assim, isso foi determinante para que o motorista perdesse o controle da direção. Ainda cabe recurso.

Pós-Carne Fraca

Após quase um mês sem operar, a unidade da BRF em Mineiros, região sudoeste de Goiás, voltou a abater de frangos e perus na última terça-feira (11). Devido à grande demanda, parte das aves ainda deve ser enviada para fábricas de outras cidades.

É ele!

Em entrevista exclusiva, o prefeito Roberto Naves disse à Voz de Anápolis que Jovair Arantes foi, é e será sempre o seu candidato a deputado federal onde quer que ele esteja. Naves destacou o trabalho de Arantes e de Rubens Otoni na conquista de verbas para a cidade.

Eles ficam

O presidente Michel Temer se limitou a dizer que “vai deixar o Judiciário agir” em relação a lista de oito ministros de seu governo que estão na mira da Lavajato após a divulgação da lista de Fachin.

Nomes

São alvos de pedidos de abertura de inquéritos os ministros Eliseu Padilha (PMDB), da Casa Civil, Moreira Franco (PMDB), da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Kassab (PSD), da Ciência e Tecnologia, Helder Barbalho (PMDB), da Integração Nacional, Aloysio Nunes (PSDB), das Relações Exteriores, Blairo Maggi (PP), da Agricultura, Bruno Araújo (PSDB), das Cidades, e Marcos Pereira (PRB), da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

Recado

“O governo não pode parar. Às vezes, os conceitos mais singelos da administração pública são esquecidos. Então, digamos assim: o Executivo executa, o Legislativo legisla e o Judiciário julga. E cada um vai exercendo suas funções. Nada deverá paralisar a atuação governamental”, afirmou Temer.

Não deu

Roberto Naves ficou esperando o deputado Alexandre Baldy aparecer para uma agenda conjunta no gabinete do prefeito na última segunda-feira (10). Somente na hora do encontro, o deputado justificou por mensagem a ausência por problemas na sua agenda na capital federal.

Na farda

Ausente de debates como a transferência de presos para Anápolis ou o aumento da TSU, o deputado estadual Carlos Antônio (PSDB) teve sua agenda destacada por ter sido paraninfo na formatura da turma de operações especiais do Exército, em Goiânia.

Desmotivada

Apesar de entusiasmada para promover um mandato que atue sobretudo na área da Saúde, a vereadora Elinner Rosa (PMDB) não esconde seu desânimo com o rito de trabalhos na Câmara. Segundo ela, há poucas chances de “fazer a coisa acontecer, de fato”. Curiosamente, Eli Rosa, seu pai e de quem Rosa herdou o patrimônio político, tinha a mesma reclamação sobre o parlamento: muita falação, pouca ação.

Solidário

Após fazer um encontro na internet ao lado do colega tucano Marconi Perillo, o também governador Geraldo Alckmin é acusado de receber – assim como Marconi – mais de R$ 10 milhões da empreiteira Odebrecht em caixa dois para as suas campanhas ao Governo do Estado de 2010 e 2014, segundo a delação homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Parcelas

De acordo com os delatores, o tucano recebeu R$ 2 milhões na disputa pelo Palácio dos Bandeirantes em 2010 e outros R$ 8,3 milhões quando se reelegeu, em 2014. Os valores não foram declarados na prestação de contas oficial, enviada à Justiça Eleitoral.

Nova Casa

O diretor do Museu de Anápolis, Jairo Leite, dispensou o trabalho do vigia noturno do imóvel. A alegação é pra lá de inusitada: Jairo resolveu “morar” no Museu por uns dias e, por isto, vai ele mesmo cuidar do patrimônio histórico da cidade na casa de Zeca Batista.

Tá pesado

Mauro Severiano afirma ter orgulho em ser político honesto. Segundo ele, é difícil fazer política com “essa cambada”. Ele se refere aos citados na Lista de Fachin divulgada na última semana.

Incentivo

O deputado Alexandre Baldy apresentou para o Ministro do Desenvolvimento, Marcos Pereira, um projeto para criar um programa nacional de crédito para as Micro e Pequenas Empresas (MPEs).

Dia-a-dia na Câmara Municipal

Teles Júnior (PMN) comemorou o início das obras onde irá funcionar a empresa Caracal em Anápolis. Ele solicitou uma moção de aplauso para o dono da empresa, “um investidor que apostou na cidade”.

Elias Ferreira (PSDB) pediu para que as autoridades municipais tomem providências quanto ao uso nas ruas e avenidas das caçambas de entulho. No último domingo (09), um motociclista de 26 anos morreu na Avenida Presidente Kennedy ao colidir com a caçamba.

Fernando Paiva (PDT) reclamou das condições do campo “Barro Preto”, na Vila Santa Maria de Nazaré. Segundo Paiva, o poder público precisa dar mais apoio a eventos como este. “Nem banheiro tinha”, destacou. O vereador pediu que o líder do prefeito leve esta reivindicação ao prefeito para promover mudanças.

Geli Sanches (PT) comemorou a eleição interna de seu partido. “Celebro o fato de que uma mulher está deixando a presidência para ser ocupada por um jovem”, afirma Sanches que é a ex-presidente da legenda.

Luzimar Silva (PMN) parabenizou seu time do coração, o Anápolis Futebol Clube, pela vitória contra a Aparecidense que possibilitou a permanência do clube na primeira divisão do Goianão do próximo ano.

Antônio Gomide (PT) criticou as decisões do Governo de Goiás que, na sua visão, enfraquecem a carreira dos professores na Educação Estadual. “Como pode tomar uma atitude assim se em março do ano que vem Marconi já não será mais governador? A lei pode ser mudada, mas enquanto ela vigorar, irá desestimular a carreira e os profissionais”, afirmou.

“Quando se casa com a viúva, também se é responsável pelos seus filhos”, compara Jakson Charles (PSB) para comemorar que Roberto Naves tenha pago compromissos da administração anterior.

Mauro Severiano (PSDB) afirmou assistir a canal árabe Al Jazzeera e que nele há o destaque para os casos de corrupção do Brasil.

Teles Jr (PMN) disse que a gestão de Roberto Naves está servindo como modelo para outras “cidades do Centro-Oeste”. “Tenho amigos prefeitos em outras cidades que vem pegando o modelo daqui”, garantiu.

Domingos Paula (PV) reclama da forma como foi atendido pela Secretária de Desenvolvimento Social, Nair Vieira. “Espero que da próxima vez eu seja tratado como um defensor dos interesses do povo deve ser tratado. Não fui lá fazer visita ou tomar café”, disse. “Se não me atender da forma como devo atendido, vou voltar com este assunto”, ameaçou.

Domingos Paula recebeu a solidariedade de diversos vereadores que também chamaram a atenção sobre o atendimento de secretários destinado a vereadores. Para Jakson Charles, a situação vivida por Domingos foi pontual.

Luiz Lacerda (PT) questiona a autoridade moral e política do governo Temer em fazer alterações nas leis previdenciária e trabalhista tendo nove ministros envolvidos nas denúncias da Lavajato.

Notícias Relacionadas