Luiz Lacerda pede cautela sobre anúncio de verbas: “A cidade coleciona promessas não cumpridas do Governo”

O vereador Luiz Lacerda (PT) recomendou cautela para os vereadores novatos que comemoraram em sessão plenária a parceria na qual o Governo de Goiás anunciou R$ 10 milhões em recursos para a implantação de diversos projetos em Anápolis. “Espero que não seja uma forma de estar engabelando o nosso povo para desviar do assunto do presídio”, afirma. “O presídio não pode cair no esquecimento e há um esforço das autoridades para que seja esquecido”, avaliou.

“A prática dos últimos anos do Governo de Goiás é prometer e não cumprir. E nós temos vários exemplos. Não falo nem das obras paralisadas, porque estas todo mundo sabe, mas das promessas não concretizadas”, destacou o vereador. O parlamentar, que já ocupou a presidência da Câmara Municipal, lembrou alguns casos registrados em eventos oficiais. “Há uns anos tivemos na região do Vivian Park uma inauguração de uma creche em que a primeira-dama se empolgou com os aplausos e prometeu – em alto e bom som – a vinda de mais uma creche. Nunca aconteceu”, recordou.

Outro episódio ressaltado pelo vereador remente até a um documento da Câmara Municipal. Trata-se da Lei Complementar 305, de 1º de julho de 2013. Na ocasião, a Câmara Municipal autorizou a vinda de uma unidade do AME –

Ambulatório Médico de Especialidades – através da autorização da doação de um terreno de 20 mil metros quadrados na região do Bairro de Lourdes. “Cadê o AME? A lei até venceu o prazo. A o pior: aqui nem veio, mas nas cidades em que foram iniciadas em outras cidades foram começadas e não terminadas como mostrou a reportagem do Popular recentemente”, reclamou o parlamentar.

 

Apoio

“Temos motivos de sobra para desconfiar dessas promessas porque a cidade tem provas e motivos para desconfiar. De quase R$ 20 milhões prometidos para asfaltar linhas de ônibus também em 2013, vieram apenas R$ 2 milhões”, completa. “Espero que venham os recursos, parabenizo a iniciativa do prefeito em ir atrás de recursos, mas vejo com cautela. Espero queimar a minha língua”, concluiu o vereador.

Sobre a possibilidade de se desviar a atenção da população para o assunto do presídio, Lacerda ganhou o apoio de Lélio Alvarenga. “Este é um questionamento mais que correto. O assunto é grave, afinal, tratou-se de tantos assuntos em Goiânia (entre o prefeito e o governador), mas não falou-se no assunto presídio”, apartou.

Notícias Relacionadas