Primeiro escalão de Caiado terá 17 secretarias

O governador eleito Ronaldo Caiado (DEM) decidiu criar mais duas secretarias, de Comunicação e de Infraestrutura, além das outras quatro que ele já havia anunciado em novembro. Uma outra pasta ainda pode integrar o organograma de primeiro escalão, completando 17 secretarias.

Caiado teve reunião durante boa parte do dia de ontem com a equipe de transição para fechar a estrutura administrativa. O grupo mantém em sigilo o nome da possível nova pasta alegando que é uma definição “estratégica” do governador eleito.

A Secretaria de Esportes, que havia sido anunciada mas caminhava para ficar com a Educação, está novamente na lista das futuras pastas. Entre aquelas que serão extintas estão a Secretaria do Trabalho e as cinco extraordinárias. As atribuições da primeira serão transferidas para a Secretaria de Indústria e Comércio (SIC).

A futura Secom vai substituir o atual Grupo Executivo de Comunicação, órgão de assessoramento direto ao governador. A Agência Brasil Central (ABC) será subordinada à Secom.

Já a Infraestrutura será separada da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos em pasta que atualmente é chamada de Secima. Ainda não há definições sobre como ficará a Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), mas será inicialmente da administração indireta jurisdicionada a Seinfra.

Em novembro, Caiado anunciou que criaria as pastas de Agricultura, Cultura, Indústria e Comércio (desmembrada da Secretaria de Desenvolvimento Econômico) e Entorno do Distrito Federal. Esta última foi excluída do organograma depois de medida provisória do governo federal que criou a Região Metropolitana do Entorno do Distrito Federal.

Esta semana, o governador eleito decidiu fundir Fazenda e Planejamento em uma Secretaria da Economia, nos moldes do Ministério da Economia de Paulo Guedes, no futuro governo Jair Bolsonaro (PSL).

Com os acertos sobre a estrutura, Caiado deve avançar hoje na definição dos titulares das pastas. Das 16 já certas, 9 já têm secretários anunciados. Não há garantia, no entanto, que o quadro de auxiliares do primeiro escalão será fechado esta semana. O governador eleito disse na semana passada que pretendia fechar os nomes antes do Natal.

Disputa

O processo de separação da Secretaria de Desenvolvimento Econômico em três pastas virou alvo de disputa entre aliados de Caiado. O senador Wilder Morais (DEM), que coordena a equipe de transição e será titular da SIC, cobra mais poderes para sua futura pasta. As atribuições da SED serão divididas entre a SIC, e as secretarias de Desenvolvimento Econômico e de Agricultura.

Wilder articulou para ficar com a antiga Secretaria do Trabalho e as atuais superintendências do Banco do Povo e da Mineração. A SED, que será comandada por Adriano da Rocha Lima, ficará com a superintendência de Comércio Exterior, além daquelas relacionadas a tecnologia e inovação. Há disputa sobre quem ficará com a Goiás Turismo, que será extinta. Já a Agricultura terá Agrodefesa, Emater e Ceasa. O titular ainda não foi definido. As superintendências serão transformadas em subsecretarias.

Segundo informações de bastidores, o clima ficou quente nas discussões de ontem. Wilder minimizou o embate interno e disse estar satisfeito com a estrutura que vai comandar, embora admita “ajustes”. “A estrutura ficou do jeito que eu queria. Foi apresentada uma estrutura, mas depois a gente ajustou para ficar politicamente do jeito que a gente entendia que poderia funcionar”, afirmou.

Depois de ficar em terceiro lugar na disputa ao Senado, Wilder tem planos de ser candidato a prefeito de Goiânia e busca espaço para se destacar no governo Caiado. (O Popular)

Notícias Relacionadas